PARAIBA
PARAIBA

APAS SHOW: ApexBrasil promove rodadas de negócios internacionais na feira

APAS SHOW: ApexBrasil promove rodadas de negócios internacionais na feira

Exportar sem sair do Brasil: ApexBrasil promove rodadas de negócios internacionais na APAS 2024 

A Agência convidou 37 compradores estrangeiros para conhecer a maior feira supermercadista do mundo, que acontece em São Paulo. Os importadores realizaram reuniões de negócios com mais de 70 empresas brasileiras

Aproveitando a presença das principais marcas brasileiras de alimentos e bebidas na 38ª edição da APAS Show, a maior feira supermercadista do mundo, que acontece em São Paulo, a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil) realizou rodadas de negócios com 37 compradores internacionais. Entre 13 e 15 de maio, foram realizadas cerca de 700 reuniões com mais de 70 empresários brasileiros. A expectativa de vendas é de mais de US$ 20 milhões.

Quem chega na Expo Center Norte logo vê que a estrutura da APAS Show não fica aquém de grandes feiras internacionais. Com 800 expositores distribuídos em cinco pavilhões que recebem mais de 70 mil pessoas ao longo de quatro dias, a feira é um dos eventos mais aguardados do varejo nacional, onde as empresas apresentam seus produtos e novidades para o mercado. Se o evento encanta os brasileiros, impressiona ainda mais os visitantes internacionais que chegam ao Brasil para conhecer a oferta exportadora do país.

Por isso, anualmente a ApexBrasil convida compradores estrangeiros de diferentes mercados para visitar a APAS Show e integrar, durante o período da feira, rodadas de negócios com empresas brasileiras selecionadas. Além do espaço para as reuniões, a Agência também organiza um grande lounge institucional, onde os empresários podem se reunir com clientes, produtos brasileiros ficam em exibição e representantes ficam à disposição para apresentar os serviços da ApexBrasil.

Na edição deste ano, o vice-presidente Geraldo Alckmin e o ministro da Agricultura Carlos Fávaro visitaram o espaço da Agência. Fávaro comemorou a iniciativa, “depois de ver uma feira desse tamanho, um comprador traz outro ano que vem. É o supermercado do mundo na prática”. “Isso certamente fortalece muito o comércio, gerando empregos e oportunidades aqui no Brasil”, acrescentou o ministro.

O diretor de Gestão Corporativa da ApexBrasil, Floriano Pesaro, participou da agenda e destacou a importância de dar a oportunidade aos compradores internacionais de conhecer os produtos brasileiros “tipo exportação”. “Estamos avançando muito nesta feira, com um dos maiores estandes já feitos pela ApexBrasil. Aqui na APAS 2024, trouxemos compradores de 19 países, para que possamos fazer essas rodadas de negócios com muito sucesso, ampliando as exportações brasileiras”, afirmou.

Match em todos os continentes

Para a APAS Show 2024, os escritórios internacionais da ApexBrasil que abrangem todos os continentes, distribuídos em 7 países diferentes, identificaram os importadores do setor de alimentos e bebidas com interesse no mercado brasileiro. A partir daí, a Agência montou a delegação de 37 compradores internacionais da Europa, Ásia, Oriente Médio e África e Américas, que tiveram agendas de reuniões com mais de 70 empresas exportadoras.

O perfil dos compradores e vendedores é variado. Entre as empresas brasileiras estão desde veteranas em mercados internacionais, como a Camil Alimentos, de grãos, a 3 Corações, de cafés, e a Marilan, de biscoitos, até empresas iniciantes, mas com grande potencial de ampliação de exportações, como a Natuê Brasil, de snacks saudáveis, a Sozé, de cachaças sustentáveis, e a Café Memória, de cafés especiais mineiros.

Para Renata Vilares, da Natuê Brasil, foi a primeira participação na APAS, e ela se surpreendeu com a recepção muito positiva dos compradores aos seus produtos funcionais, que levam cambuci, fruta típica da mata atlântica. “Fiquei maravilhada com o tamanho da feira e foi um sucesso nossas rodadas de negócio”, conta. A empresária relata que já foi convidada para participar de uma feira em Nova York, por um dos compradores que considerou a marca “a cara do Brasil”.

Do lado dos compradores, além de representantes de parceiros comerciais tradicionais do Brasil, como Estados Unidos, China, Portugal e Emirados Árabes Unidos, participaram também importadores de países como Moçambique, Palestina e Egito, que representam importantes oportunidades de diversificação de negócios. Os palestinos, por exemplo, estavam em busca sobretudo dos cafés do Brasil, enquanto os europeus visavam expandir o fornecimento para o mercado da saudade dos expatriados brasileiros no exterior.

A seleção da delegação inclui compradores de empresas de grande porte com interesse em múltiplos produtos, como o representante da maior rede varejista da Rússia, ou o da Tropigalia, 28ª maior empresa de Moçambique, e também importadores que buscam produtos de nicho, como a importadora japonesa que veio ao Brasil atrás de sucos e castanhas. O objetivo é maximizar negócios e garantir a expansão das exportações.